Quebrando paradigmas,para conquistar um sonho


O dia 13 de agosto de 2011,vai ficar marcado na minha mente, no meu coração e na minha alma, um dia em que o impossível se tornou possível.

Ao acordar, na casa da amiga ultramaratonista Monica Otero, abraçar o amigo Luiz Lacerda e Jacqueline Terto, receber os amigos atletas, para um delicioso, café da manhã comemorativo, eu ainda, respirava o ar da ansiedade, não sabia com clareza, o que eu teria pela frente, nos últimos 26 km até a chegada no Ibirapuera na feira Brasil Sports Show e Adventure Sports Fair, eu chorei muito, sonhando com minha mãe, na noite anterior, parecia que ela estava dizendo, falta pouco filho, para você realizar seu sonho.

Talvez muitas pessoas, jamais irão entender o significado desse desafio, a essência que fez nascer, continuar e culminar na realização no dia 13.

Muitos me ligaram com ironia, dizendo, Carlos você tá gordo, será que veio de avião? ou de carro? outros foram orientados pelos seus treinadores, para não me acompanhar,pois achavam a minha atitude ridícula,diziam que eu queria aparecer, ou ficar rico com isso,Sim eu queria aparecer, sem a imprensa a venda de km seria ainda mais fraca, rico eu fiquei sim, pois adquiri um capital intelectual, muito valioso, que foi a experiência de conhecer muitas pessoas especiais.

Mas eu respeito, todas as opiniões, o importante, é o meu compromisso comigo e com as crianças, a homenagem, a minha mãe e a mensagem de força, que tentei passar em cada cidade desse imenso país.

Eu jamais quis ser melhor que os outros, o que eu quero, ao realizar um desafio como esse, é me aproximar, cada vez mais, dos diferentes atletas desse país, minha maior conquista nesse desafio, foi os amigos que conquistei a cada passo, foi me aproximar da natureza, e conhecer o Brasil de forma verdadeira.

Não sou um super homem, nem tampouco um herói, sou um cidadão, em busca da plenitude, do viver de forma única, compartilhando com as pessoas ao meu redor, a emoção de ser brasileiro.

Aos amigos que apertaram minha mão,os que correram comigo por um período, os hotéis,pousadas, comunidades indígenas,igrejas,polícia rodoviária federal, estadual, exército,imprensa, e meus apoios Tegma gestão logística e Crocs. aos amigos Allisson Miranda que ficou 32 dias comigo, o amigo Robson Neves que correu 7 dias comigo, a Monica Otero, que correu 5 dias comigo, Maria Rita por correr 120km em um trecho difícil da amazônia, ao casal Luiz Lacerda e Jacqueline por correr 18 dias comigo,dando um suporte, na parte fisiológica, aos fisioterapeutas do Joaquim Grava por me preparar e fortalecer para busca,os amigos Gerson Oliveira e Edson Oliveira, por me socorrer, com hospedagem nas regiões do sul, minhas irmãs por cuidar do meu filho, e todas as fisioterapeutas, de cada cidade que me socorreram, e preservaram, meu fisiológico até o final.
Enfim todas as pessoas, que de alguma forma, fizeram parte dessa equipe, até chegar aqui.muitíssimo obrigado.

A entrada na feira, foi simplesmente emocionante, ao ver meu filho, minhas pernas ficaram fracas, dali para frente, um filme passou em minha mente, lembrei da infância, das palavras de força da minha mãe, os momentos de isolamento na estrada, os riscos que corri, o rosto de cada pessoa que conheci, nessa jornada, dos treinos com o meu treinador Herói Fung, as brincadeiras com meu filho, a luta para conseguir parceiros.os sorrisos das crianças do graacc e todas as adversidades e nãos que tive que enfrentar para chegar até aqui.

A venda de km estava fraca, foram vendidos 2.400km, muitas pessoas, só fizeram a intenção de compra mas não efetivaram, mas na chegada,uma surpresa que me fez desabar, ali eu vi que tinha conseguido atingir todos os objetivos, a Tegma Gestão Logística empresa que apoiou o desafio, comprou 15.000km,fazendo a meta total praticamente ser atingida.

Na próxima semana, vou visitar o hospistal, e entregar de forma oficial, com a presença da imprensa, as doações, se você deseja comprar e colaborar com o graacc, ainda continua a venda de km, vamos ser voluntários no combate ao câncer infântil.

Agradeço a Deus por me acompanhar, dedico a minha mãe essa conquista, e a todos os pais e mães que lutam junto com seus filhos no hospistal para vencer o câncer.

Correr e andar, 18.250km, em 325 dias, não foi tarefa fácil,tive que juntar forças,mas acima de tudo tive muitas pessoas, comigo em cada pedaço desse Brasil.

Para quem gosta de número, meu ritmo médio foi de 5.5km por hora, máximo 7km por hora, corria mínimo de 8 horas e  o máximo  que fiquei na estrada, 20 horas.

70  pares de crocs,142 pares de meia, 5 mochilas,2 óculos.

Um beijo no coração de todos
Carlos Dias
11 7439 4151