Presto reverências, a montanha Anapurna -Nepal


Tentar descrever, o esforço, e a sensação de fraqueza, que tive ao longo da prova na montanha Anapurna,é quase impossível, só indo lá para entender, o tamanho do respeito que tenho por essa montanha.

A ideia inicial era correr 250km em 7 dias, mas foram 103km em 4 dias, enjoos diários, e fortes dores no estomago, me tiraram da prova, eu estava bem fisicamente, mas como vomitei, hora a hora, chegou o momento que meu corpo, não conseguia, simplesmente dar mais um passo,isso foi dolorido,pois a minha vontade era enorme, mas estava perdendo até a condição de falar, em um momento caí de fraqueza, numa subida de 3050 metros de altitude, levantei e segui para um check-point, onde os médicos me acolheram, e avisei que não tinha mais condições de continuar, o médico então me avaliou melhor e disse que eu estava com uma virose, me deu soro e medicamentos apropriados, dormi e só acordei em outro check-point.

Muitos atletas experiêntes, não conseguiram completar, por acidentes, como quebrar a perna, o braço, nas descidas de grandes escadarias de pedra, ou por enjoo, tontura desidratação, um total de 51 atletas, dos 220 que fizeram a largada, foram 38 paises,8 médicos, e mais de 300 staffs.

A ultramaratonista Monica Otero, foi cortada na primeira etapa, por ultrapassar o tempo limite da etapa, mas voltou na ultima etapa e correu, mais 13 km, no total ela correu 52 km, e depois  foi voluntária ajudando a entregar água para os atletas, nos acampamentos, uma grande guerreira.

Os campeões dessa incrível prova, foram no masculino Ryan Sandes da África do Sul 25h:15 min e no feminino Stephanie Case do Canadá 30:15 min.

Respeito essa montanha, e presto reverências,suas subidas e paisagens são de tirar o folêgo,o povo de cada comunidade, nos saudavam com o Namastê, as crianças corriam conosco por alguns metros, pedindo chocolate, realmente jamais vou esquecer essa gente tão especial.

Volto com a certeza de ter me entregue totalmente a essa prova, não faltou entusiasmo e vontade, mas quando nossa saúde fica comprometida, temos que pensar nas pessoas, que nos amam, pensei no meu filho, nos momentos em que estava, nos momentos difíceis, e lembrei que tinha prometido a ele que voltaria, para brincar com ele, lembrei, dos amigos, da minha namorada Maní, que torce muito, minhas irmãs e minhas tias, que como mães choram, e nem dormem preocupadas.

Estou muito emocionado, pois sei que no Brasil, temos que provar que temos capacidade para tudo, e quando terminei muitos atletas me deram parabéns, o respeito conquistado, com pessoas de diversas nações, me deixa mais fortalecido.

Tenho que agradecer de coração o patrocínio da Tegma Gestão Logística, mandar um forte abraço em seus diretores e colaboradores, hoje a Tegma foi ao lugar mais alto do planeta, o apoio da Crocs, que deixa de ser meu apoio no próximo ano, e eu fico sem calçados para novos desafios, deixo já o convite para as empresas de calçados, para uma possível parceria.

Aos fisioterapeutas do Dr.Joaquim Grava, a Isabel, Letícia , ao irmão Luiz Lacerda e ao meu treinador Herói Fung, sou grato por vocês nunca me abandorem, me acolherem, nas horas difíceis.

Cada passo difícil que dei aqui na montanha de Anapurna, dedico a cada criança do Graacc, que enfrentam, a doença com um belo sorriso no rosto.

Obrigado  e Namastê
Carlos Dias