Super Humanos- América Latina - History Channel


Se acontecer de você estar assistindo o History Channel em 17 de maio, você vai se deparar com um corredor de ultramaratonas brasileiro chamado Carlos Dias. Ele foi nomeado  "super-humano" na América Latina, e o título é adequado. Ele não é somente um atleta de longa distância de 39 anos surpreendente, ele é também uma das almas da maior bondade e compaixão que se pode encontrar.

Carlos está aqui na Jordânia para a Roving Race. Ele criou um  grande impacto ao completar os 4 desertos em 2008/2009 e, em seguida, correu no Nepal em 2011. Com seu inglês limitado, ele é conhecido por seus sorrisos radiantes e pela capacidade de fazer os outros felizes apenas por estarem na sua presença. Mas quando nosso voluntário que fala Português sentou com ele no final da primeira etapa, o rapaz de 39 anos começou a contar sua história de vida, e que história essa.

O  brasileiro iniciou suas corridas de resistência em 1997. "Eu li um artigo sobre uma ultra na África do Sul, 89 quilômetros que teve 14.000 corredores em conjunto", explica ele. "Eu comecei a aprender e treinar para fazer isso. Fiz uma corrida de 100 quilômetros no Brasil, que eu terminei e me senti muito bem. Então, três meses depois, fui para a África do Sul para fazer a Maratona Comrades. Foi quando eu comecei a fazer isto em tempo integral. "

Ele fez todos os principais testes em campo, cruzando os Estados Unidos de Nova York a São Francisco (um total de 5,130-km) em 59 dias, e atravessou o Brasil de norte a sul e completou os 9.000 km em 100 dias. Em 2010, ele partiu em uma volta ao redor de seu país todo, foram 18.250-quilometros em 325 dias. No entanto, seis semanas antes de ele partir para esse desafio, sua mãe faleceu.

"Esse teste foi muito difícil começar", admite ele. "Eu tive que trabalhar com todas essas emoções para continuar o meu sonho. Eu tenho um filho de cinco anos, chamado  Vinicius, e concentrei-me sobre ele nesse momento, porque eu tinha perdido a pessoa que significava muito para mim. Ele me dá força e inspiração para continuar a lutar por crianças e a superar os desafios. "

Na verdade, o que destaca este homem realmente como atleta é a forma como ele usa seus talentos como um instrumento para servir aos outros. "Eu sempre tento fazer a minha carreira desportiva a serviço de uma causa maior", diz ele. "Minha causa é o câncer infantil. É por isso que eu luto, eu sinto que eu tenho que usar a minha paixão. Eu tento usar a determinação e o entusiasmo que Deus me deu para isso. Sou um soldado desta causa. "

Ao concluir a entrevista, o brasileiro nos deixa com uma pérola de sabedoria. Quer fazer as coisas na vida? Siga os conselhos deste homem: "Eu tenho uma idéia na minha cabeça, eu a coloco no papel, faço um compromisso comigo, e de lá a coloco em prática e a torno realidade."
Maravilhosas palavras de um ser humano verdadeiramente inspirador.

Por Clare Morin