Palestra : Inteligência na adversidade-Atibaia


Palestra: Inteligência na adversidade (como ter qualidade em lugares e situações extremas)

 Junte seu time  dia 07 de fevereiro 2010 - Atibaia

 A palestra aborda, em uma história bastante envolvente e interativa, como a motivação, aliada a estratégias e à crença na vitória fizeram com que o atleta (ultramaratonista) e palestrante Carlos Dias conseguiu superar todas adversidades para realizar seus sonhos.

 A travessia de 4 desertos, nos climas mais extremos e inóspitos do mundo e a travessia dos EUA de Leste a Oeste enriquece ainda mais as lições de vida de Carlos, que podem não só ser usadas na vida pessoal como no âmbito empresarial, utilizando conceitos de planejamento, alcance de metas, gerenciamento de riscos, missão, visão, valores e muitos outros.

 A palestra “Inteligência na adversidade” traz verdadeiras lições de como encarar a vida com o foco na realização de sonhos, acreditando, porém mantendo os pés no chão e colocando cada desafio diário como uma meta, buscando estratégias racionais para o alcance dos objetivos. Programa: Visão Missão Valores planejamento Lidar com “nãos” Busca contínua, mesmo com incerteza Assumindo riscos Como usar os recursos mentais em momentos difíceis

 Inscrição: Via site www.webrun.com.br  ou  email:carlosdias12@hotmail.com via depósito até dia 05/02/2010 , Banco Real agência 0373 Conta Corrente 8728393/6 Carlos R L Dias

 Data: 07 de fevereiro de 2009 Horário: Saída 8:30 hs retorno 17:00 hs (palestra as 14 hs) Carga horária:8:30 horas

 Investimento:R$180,00 Incluso ( kit lanche,transporte ida e volta S.Paulo/Atibaia/S.Paulo,camiseta, certificado,almoço e caminhada integrativa 6 km)

 Local: Pousada Pedra Grande Atibaia www.pousadapedragrandeatibaia.com.br estrada da Pedra Grande km 5,5 Atibaia Local de Saída : 8:30 hs em frente ao Masp Av Paulista,1578 metro Trianon/masp.

 Palestrante: Carlos Dias, 37 anos, é formado em administração de empresas e pós-graduado em psicologia organizacional – RH. Atuou na área de treinamento e atualmente dedica-se ao seu trabalho como atleta (ultramaratonista), palestrante e organizador de eventos esportivos e motivacionais. Carlos tem uma história de vida riquíssima, passando por árduos desafios desde a infância e até hoje dedicando-se à superação. Carlos já completou 64 maratonas e mais de 30 ultramaratonas. Já correu provas de 12, 24, 48, 72 e 144 horas.Correu os 4 desertos mais extremos do planeta e cruzou os EUA de Leste a oeste 5.130 km em 59 dias. Após completar o Circuito Racing the Planet, onde percorreu 4 desertos (GOBI-China, SAHARA-Egito, ANTÁRTICA-Pólo Sul, ATACAMA-Chile)

 O ultramaratonista brasileiro Carlos Dias entrou para o livro dos recordes Brasileiros como o "Primeiro brasileiro e sulamericano a completar os quatro desertos extremos, em menos de 12 meses". Cada deserto tinha 250km dividos em 6 etapas, para serem cumpridos em 7 dias. Participaram atletas de 32 países, onde cada participante era responsável por carregar sua alimentação para 7 dias, equipamentos de segurança, além do saco de dormir. Carlos, aos 36 anos, correu os quatro desertos mais extremos do planeta totalizando 1.000km em 300 dias.

O primeiro deserto foi o Gobi na China, considerado o mais úmido. Dias, começou a maratona em 08/06/2008 às 8 h da manhã e terminou 14/06/2008 às 11h17. Permanecendo correndo 63h37m12s. Deserto de Gobi - China O deserto do Saara, no Egito, considerado o mais quente, foi o segundo concluído.

A trajetória começou dia 26/10/2008 às 8h e teve fim dia 01/11/2008 às 12h30. Deserto do Saara - Egito Do calor para o gelo, o terceiro deserto percorrido foi o da Antártica no Pólo Sul. O começo ocorreu dia 28/11/2008, sendo finzalizado no dia 30/11/2008. Na época em que o atleta permaneceu na Antártica não havia noite o que favoreceu o tempo para conclusão da terceira etapa. Deserto da Antártica - Pólo Sul Dia 29/03/2009, Dias atacou o quarto e último deserto, do Atacama no Chile. No dia 04/04/2009 terminou sua saga. “A Antártica exigiu muito pelo peso da neve e ventos fortíssimos, mas o deserto mais exaustivo foi o Atacama, pois enfrentei um forte calor durante o dia (40ºC) e a noite a temperatura baixava para -2ºC.

O solo mudava a cada hora, peguei pedras, sal, lama, água gelada, arbustos com raízes, muitas subidas e descidas e grutas, altitudes que chegavam a 6.000m. Esse deserto me deixou exausto”, conta. Deserto do Atacama - Chile Antes de enfrentar os 4 desertos, Carlos dias cruzou o Brasil.

"Após ter cruzado o Brasil do Oiapoque ao Chuí (nove mil quilômetros em 100 dias), decidi que estava pronto a enfrentar ambientes ainda mais extremos". Em sua preparação para a aventura, correu nas trilhas da Serra da Cantareira, fez trabalho de fortalecimento muscular e resistência em piscina, além de acupuntura, massagens e um check-up de saúde completo. “Juntamente com Herói Fung, meu treinador, me preparei com estratégias mentais para visualizar cada ambiente onde iria correr”, explica o ultramaratonista. Em texto extraído de seu blog resume sua aventura: "Foram momentos únicos em minha vida correr esses desertos, com certeza cresci muito e abri minha visão em relação ao mundo. Compartilho esse feito e esse reconhecimento com minha mãe Neli, meu filho Vinícius, meu treinador Herói Fung, a CROCS meu patrocinador, a clínica Joaquim Grava, WH SPA, KAILASH, UNIFESP e a todos amigos que enviaram mensagens durante as provas. Compartilho com prazer com toda familia do atletismo brasileiro e espero que possamos levar a cada ano muito mais atletas para competições internacionais. Muitas pessoas me questionam por quê correr grandes distâncias e sempre digo que é por ter um porque muito forte. Quantos quilometros você correria para manter a sua forma física? Quantos quilometros você correria se cada quilometro adicional mataria a fome de uma criança em algum lugar pobre no mundo ou protegeria e desenvolvesse seu filho? Essa é a questão. Guando temos um grande porquê nada é impossível".