Carlos Dias único sul americano nos 250 km das florestas do Sri Lanka

Ultramaratonista se torna único sul-americano a completar ultramaratona de 250 km nas florestas do Sri Lanka.

O ultramaratonista brasileiro Carlos Dias, famoso por correr 42 maratonas em 42 dias consecutivos e completar os 9.000 km do Oiapoque ao Chuí em 90 dias, entre outras marcas impressionantes, completou no último dia 14 de fevereiro os 250 km entre montanhas, florestas, savanas e praias da Ilha do Sri Lanka.
A 4 Deserts é uma competição anual que promove ultramaratonas de 250 km em quatro dos desertos mais conhecidos e desafiadores do mundo: Atacama (CHI), Saara (NAM), Gobi (CHN) e Antártida – e também uma prova itinerante, que em 2016 aconteceu no Sri Lanka.
Depois de participar de quatro das últimas cinco provas itinerantes da 4Deserts – no Nepal, no deserto da Jordânia, no Equador e em Madagascar – e também de todas as etapas fixas,
O atleta conseguiu completar o seu nono percurso de 250 km em lugares extremos.
A prova no Sri Lanka teve confirmados 78 competidores, 35% mulheres, 65% homens e somente Carlos Dias como representante brasileiro e da América do Sul , apareceu entre eles.
22% dos atletas não completaram a prova e o Carlos Dias conseguiu completar na posição de 59º lugar.
A prova exigiu muita força e determinação de Carlos Dias, e, para conseguir completar um percurso cheio de surpresas, o ultramaratonista usou a estratégia mental para superar cada obstáculo no caminho.
A prova começou nas montanhas, o primeiro dia foi cheio de longas subidas e descidas em gigantescos paredões; no segundo dia os atletas entraram na floresta e o sobe e desce de montanhas, testou cada um dos competidores. Carlos Dias sentiu muitos enjoos e passou a administrar esse incomodo durante toda a prova, o calor e a umidade castigavam o ultramaratonista que foi ficando fraco a cada hora, no terceiro dia.
Carlos Dias teve o seu grande teste quando atravessou savanas e florestas. Sentindo a fraqueza aumentar, mudou de estratégia, passou a tomar suco de açaí e banana com aminoácidos e carboidratos, da Irídium Labs e passou a estabilizar os enjoos e focar mais na busca pela chegada ao acampamento. Nesse dia, Carlos Dias chegou no limite de suas forças ao acampamento, mas conseguiu chegar dentro do tempo.
No quarto dia o calor era ainda mais forte, intervalados com tempestades torrenciais. Carlos Dias cruzou florestas com muitos rios e muita lamas. As bolhas nos pés começaram a aparecer e aumentar ainda mais o desafio para conseguir atingir o objetivo.
No quinto dia, Carlos Dias levantou determinado a não voltar com nenhuma desculpa, não queria que uma bolha ou uma dor de estomago fosse desculpas para desistir, ele precisava completar para passar a mensagem de força e busca para seu filho Vinícius e para as crianças do Graacc, além de tudo isso, ele lembrava todo o esforço feito para conseguir estar entre os competidores, como busca de patrocínios e treinos. Ele sabia que tinha várias pessoas torcendo e não podia voltar sem atingir esse nobre objetivo.
Carlos Dias chegou ao sexto dia com as forças renovadas pela estratégia mental, finalizou um dia tenso onde correu cercado por elefantes, cobras, macacos e formigas e chegou ao paraíso. Uma bela praia de águas quentes abençoou todo o esforço desenvolvido até aquele momento.
O ultramaratonista, como uma criança que visita a praia pela primeira vez, se jogou no mar e agradeceu muito.
O sétimo dia foi uma corrida de agradecimento na praia com o sol escaldante e a areia fofa, a chegada incrível em uma vila de pescadores, recebido com muitos aplausos e música.
Carlos Dias levantou a bandeira brasileira, olhou para céu e disse: “mãe eu sabia que você estava comigo, eu não desisto, eu não desisto nunca”.

Para conseguir representar o Brasil na prova, Carlos Dias contou com o patrocínio da empresa de suplementos alimentares Irídium Labs, Tegma Gestão Logística, o apoio das empresas EMG Baterias, Pizzaria Ártico, Movement, Telex e skechers. Além de 59 pessoas que colaboraram em um site de financiamento coletivo.